header-wine-odissey
______________
Your Portuguese
wine odissey...

Portugal está entre os 10 países mais bonitos do mundo...

A classificação é do portal internacional UCity Guides, que disponibiliza aos turistas tudo o que precisam de saber antes de viajar para determinada cidade e que escolheu o “top 10″ das nações “abençoadas com um raro conjunto de belezas naturais e maravilhas edificadas pelo homem”.

A lista, dominada por países europeus, é liderada por Itália. Espanha e França ocupam o segundo e terceiro lugares do pódio, respetivamente, e Portugal surge na 6ª posição, antes de países como o Brasil (8º) ou a Alemanha (10º).

O UCity guides destaca ainda a “perfeita colaboração entre o Homem e a Natureza” que é possível testemunhar em Sintra ou no verdejante Vale do Douro. “Tudo é em pequena escala mas, quando todos os elementos se combinam, é impressionante como tanta e tão diversa beleza consegue caber num país de dimensões tão reduzidas, que parece ser um dos favoritos do Sol”.

Douro-Intermédio
Quinta-Alentejana

Portugal is one of the most innovative wine countries in Europe. The charming Alentejo region is a fast emerging wine region that is known for its vast cork oak forests, it is a rolling landscapes, not to mention its bold wines. "When most people think of Portugal, they immediately think of Douro," says Kerry, "but head a little further south to Alentejo and you won’t be disappointed. Boutique wineries, full service hotels, great restaurants and of course terrific wines (mostly known for hardy red wines) make for a great wine travel experience."

Portugal, um país tradicionalmente vinícola ...

País tradicionalmente vinícola, Portugal tem vindo progressivamente a ganhar posição e crédito nos mais exigentes mercados mundiais, que se deve a uma renovação de métodos, técnicas e conceitos, mas também à forma de avaliar a indústria e à crescente competência profissional dos responsáveis pela criação e produção dos vinhos portugueses.
Nenhum outro país apresenta uma gama de variedades de castas autóctones como Portugal. Este tesouro ampelográfico, surgiu em Portugal através de mutações da Vitis Silvestris na Península Ibérica. Tartessos, Fenícios, Gregos, Romanos, entre outros, deixaram a sua marca na produção de vinho portuguesa. Séculos de isolamento evitaram depois trocas com outros países produtores de vinho, como Espanha e França.
Por essa razão, os produtores portugueses focaram-se nos sabores finos que podem ser encontrados nas suas próprias variedades de uvas.

A variedade de castas únicas e de primeira qualidade é verdadeiramente impressionante – Touriga Nacional, Touriga Franca, Trincadeira, Tinta Roriz ou Aragonez , Baga, Castelão, Alvarinho, Arinto, Antão Vaz – sendo a estas atribuído o incomparável carácter dos vinhos portugueses.

Enquanto grande parte do mundo se concentra nas castas Cabernet Sauvignon e Chardonnay, em Portugal, os amantes de vinho podem desfrutar de um conjunto distintivo e impressionante de sabores diferentes, com as mais de 250 castas autóctones existentes no país.

Com relevância considerável em termos sociais e económicos, a viticultura portuguesa constitui também um património original, antiquíssimo e precioso, que importa preservar, defender, aperfeiçoar e promover. Hoje em dia, cada região produtora tem vinhos de excelente qualidade, elaborados com tecnologia recente e a partir de castas nacionais provenientes de vinhas cheias de história.

Descubra o vinho Português através da terra ou um Portugal diferente através dos seus vinhos!

Galeria Media

Agora, imagine poder degustar estes vinhos em Portugal, desvendando as deslumbrantes paisagens do Douro. Portugal é o quarto maior produtor de vinho na Europa, produzindo alguns dos melhores e mais originais vinhos do mundo. Exporta-os desde a época romana, e o Vale do Douro foi a primeira região demarcada, agora protegida como Património Mundial da UNESCO.

De Norte a Sul, Portugal oferece uma riqueza inesgotável de paisagens, tradições e monumentos que contam a nossa história e Quintas, propriedades produtoras de vinho às vezes com traços de arquitectura secular.

Fonte: Turismo de Portugal